Engenharia Mecânica da Unicamp resgata sua história em livro produzido por escritores do Estúdio Memória Viva

Ato histórico: empresários observam José Antônio Maranho entregar a Zeferino Vaz o anteprojeto dos cursos de Engenharia da Unicamp - Arquivo José A. Maranho

No início da década de 1980, um avião ultraleve sobrevoou o campus da Unicamp atraindo olhares de professores, alunos e funcionários. A curiosidade se justificava: a aeronave havia sido projetada e construída durante meses na garagem da casa do professor e piloto amador Carlos Amadeu Pallerosi, docente da Engenharia Mecânica, em Barão Geraldo. Podia ser dobrada e montada em minutos. O motor que impulsionaria o engenho era de um Volkswagen. Batizado de “Andorinha”, uma clara referência à “Cidade das Andorinhas”, como Campinas também é conhecida, o pequeno aparelho alçou altos voos e surpreendeu quem desconfiasse que não sairia do chão.

Um dos muitos episódios que atestam a capacidade de realização do cientista da Unicamp, o feito está retratado no livro “50 anos de Engenharia Mecânica na Unicamp – Uma história de sucesso”, de autoria dos jornalistas e escritores José Pedro Soares Martins e Paulo Cesar Nascimento, integrantes da equipe do Estúdio Memória Viva. É o primeiro estúdio em Campinas especializado em produtos como livros, sites, documentários e exposições sobre a memória de famílias, empresas e outras instituições ( www.estudiomemoriaviva.com.br ).

Casarão histórico abrigou os cursos de Engenharia nos primórdios da Unicamp – Acervo SIARQ – Unicamp

A obra resgata os principais acontecimentos que marcaram as cinco décadas de existência do curso de Engenharia Mecânica na Universidade, e foi lançada na segunda-feira, dia 9 de março, em cerimônia realizada no anfiteatro da Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM).

Com 112 páginas, o livro percorre um arco de tempo que vai dos primórdios do curso de Engenharia Mecânica, quando a graduação começou a funcionar no início de 1967 na então Escola Industrial Bento Quirino, junto com outras áreas pioneiras da Unicamp. À época, a Engenharia Mecânica era um dos departamentos que compunham a Faculdade de Engenharia de Campinas (então FEC) juntamente com o Departamento de Engenharia Elétrica. A pós-graduação começaria a funcionar em 1974 com o curso de mestrado e no ano seguinte com o doutorado. A então FEC perduraria até 1988, quando seus departamentos se tornaram faculdades e o Departamento de Engenharia Mecânica passou a se chamar Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM).

Alunos da Primeira turma de Engenharia recebem o diploma de graduação – Arquivo Nonato Telles

 

A sede da FEM no Campus da Unicamp no dia da sua inauguração em 1989 – Acervo SIARQ – Unicamp

Para a reconstituição da trajetória da FEM, o conteúdo do livro, além da pesquisa documental, se alicerça sobretudo nas memórias de personagens que vivenciaram episódios do período abordado pela obra, entre os quais ex-diretores, docentes, ex-alunos e profissionais da indústria.

A obra comemorativa apresenta ainda um importante conteúdo iconográfico, com a reprodução de fotos e documentos de arquivo cedidos pelo SIARQ-Unicamp e por entrevistados. Uma rara imagem de época mostra, por exemplo, o histórico encontro em que empresários de Campinas, liderados por José Antônio Maranho, então representante da indústria Equipamentos Clark Ltda, entregam ao presidente da Comissão Organizadora da Universidade de Campinas, Zeferino Vaz, o anteprojeto dos cursos de Engenharia da Unicamp. Notícias em jornais de Campinas, em 1966, também reproduzidas no livro, destacam essa forte mobilização do segmento industrial.

Além de capacitar profissionais requisitados pelo mercado, a FEM também busca estimular os alunos para a pós-graduação

“É preciso recuperar a história”

Em seu pronunciamento durante a solenidade, o reitor da Unicamp Marcelo Knobel parabenizou a FEM pela iniciativa da publicação do livro e ressaltou a relevância do trabalho para resgatar e relembrar momentos da trajetória da instituição.

“É preciso recuperar a história e valorizar o trabalho que foi feito por gerações de pessoas que passaram pela Universidade. Parabenizo a FEM, aos autores e a todos os que estão aqui hoje e que têm uma história de vida conectada com a Unicamp, em especial com a Engenharia Mecânica”.

 

Para ele, iniciativas que buscam contar e distinguir a história das unidades de ensino e pesquisa, contribuindo para manter vivas as memórias dessas instituições, precisam ser ampliadas na Universidade.

“A Unicamp tem pouco mais de 50 anos e boa parte dos personagens que viveram esse período ainda estão aqui, entre a gente, e precisam ser ouvidos. Os autores fazem um trabalho muito bom, em um nicho muito interessante, e precisamos explorar agora essa oportunidade de ouvir e registrar os depoimentos dessas pessoas”.

Além da edição impressa, a obra também foi disponibilizada gratuitamente ao público pela FEM em formato digital no seguinte endereço: https://www.fem.unicamp.br/files/Livro/FEM_50ANOS_VERSO_DIGITAL-1.pdf

Os autores do livro José Pedro Soares Martins e Paulo Cesar Nascimento em tarde de lançamento.
Capa do Livro comemorativo dos 50 anos da FEM
More from República de Campinas

Leões do Saber

Data de 1883 o Solar do Barão do Itapura, título concedido ao...
Read More