SOCIEDADE DE MEDICINA E CIRURGIA É A PRÓPRIA HISTÓRIA DA SAÚDE EM CAMPINAS

A fundação da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), no dia 1º de dezembro de 1925, foi o mais importante passo no sentido de organizar e reunir a classe médica na cidade que naquele momento histórico se recuperava dos traumas provocados pela febre amarela, no final do século 19, e pela gripe espanhola, que também deixou um rastro de medo e insegurança, entre 1918 e 1919.

Nestes dois episódios, da febre amarela e gripe espanhola, foi heroica a atuação de muitos médicos, que arriscaram a própria vida para salvar vidas. Ângelo Simões, Valentim José da Silveira e Antônio Alves do Banho foram alguns desses profissionais da saúde que atuaram durante o horror da febre amarela, que acabou causando a morte de outro deles, o ituano João Guilherme da Costa Aguiar. Ele foi o gestor do Circolo Italiani (antecessor da atual Casa de Saúde Campinas) nos meses mais críticos da doença, entre março e abril de 1889.

Com esses antecedentes, o nascimento da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas representou portanto um passo decisivo, no momento em que a cidade estruturava os seus serviços de saúde para enfrentar os desafios dos novos tempos. Essa foi a visão dos 40 profissionais, representando quase a totalidade dos médicos que trabalhavam em Campinas, que participaram da criação da SMCC, embora sejam 30 os considerados sócios-fundadores, presentes na reunião decisiva, de 19 de novembro de 1925.

A assembleia oficial de fundação aconteceu no dia 1º de dezembro, no Salão Nobre do Centro de Ciências, Letras e Artes. O primeiro presidente foi Francisco Betim Paes Leme, um médico de enorme respeito na comunidade e que acumulava um currículo invejável em outras partes do país – o carioca formado em 1882 pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro muito jovem integrou, no ano seguinte, a Comissão Sanitária da histórica Estrada de Ferro Madeira Mamoré.

Outros nomes que assinam páginas relevantes na história da saúde e da medicina em Campinas integravam o grupo fundador da SMCC, como João Penido Burnier (primeiro vice-presidente), Mário Gatti, Armando da Rocha Brito, Carlos Stevenson, Affonso Ferreira e Octavio Marcondes Machado, entre outros.

Desde a sua origem, desta forma, a Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas representou a própria história da saúde na cidade. Essa trajetória está documentada no livro “SMCC – 90 anos na história da saúde em Campinas: memórias e legados”, assinado pelos jornalistas e escritores José Pedro Soares Martins e Paulo Cesar Nascimento e lançado pelo selo PCN Comunicação em 2015. O livro foi publicado por iniciativa da diretoria da SMCC, então presidida pelo Dr.Clovis Acurcio Machado, e com a Dra.Fátima Maria A.Ferreira Bastos como 1ª vice-presidente. A Dra.Fátima Bastos coordenou o projeto destinado à produção do livro, destinado ao resgate e documentação da memória da SMCC, com grande contribuição do Dr.Rui Ferreira Pires, presidente da Sociedade entre 1973 e 1977.

More from Memória Viva

O Que Fazemos

O Estúdio Memória Viva é especializado em projetos de documentação da memória...
Read More